Anuncie



Informações sobre anúncios: atendecomercial@jornalibia.com.br

Solicite Orçamento
Contato Comercial:
Paulo Barbosa: publicidade@jornalibia.com..br
Sirlei Alves: publicidade2@jornalibia.com.br
Iara Ramos:publicidade3@jornalibia.com.br

Para Participações Sociais e Fúnebres
Viviane Jacinto: vendas@jornalibia.com.br

Gerencia
Caroline Krahl: carol@jornalibia.com.br

 

Clique nos tópicos abaixo para saber mais sobre porque você deve anunciar conosco.

 

Mercado

Vale do Caí
O Vale do Caí é formado por 19 municípios: Montenegro, São Sebastião do Caí, Feliz, Capela de Santana, Bom Princípio, Salvador do Sul, Barão, Brochier, Vale Real, Harmonia, São José do Hortêncio, Pareci Novo, Tupandi, São Pedro da Serra, Alto Feliz, Maratá, São Vendelino, São José do Sul e Linha Nova.

A população do Vale é 169.580 habitantes e 113.910 eleitores. O índice médio de alfabetização é de 96,94%.

Com uma população de 59.415 habitantes, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Montenegro se destaca como o principal centro urbano de compras e serviços da região. A cidade ocupa a 25a posição no PIB no Estado e 61a no PIB per Capita no Rio Grande do Sul. Já no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), está em 35º no ranking gaúcho.

PIB Per Capita
Montenegro – R$ 24.457,00
Brochier – R$ 11.168,00
Maratá – R$ 16.140,00
Pareci Novo – R$ 16.265,00
Salvador do Sul – R$ 19.511,00
São José do Sul – R$ 12.654,00
Estado do Rio Grande do Sul – R$22.244,00
Brasil – R$19.509,00
Fonte: FEE - Fundação de Economia e Estatística- 2010

Expectativa de vida
Montenegro - 74,97 anos
Brochier - 74,51 anos
Maratá - 74,54 anos
Pareci Novo - 77,34 anos
Salvador do Sul – 75,71 anos
São José do Sul – 76,15 anos
Estado do Rio Grande do Sul – 75,5 anos
Brasil – 73,1 anos
Fonte: IBGE - 2009

Perfis dos Municípios

MONTENEGRO
A cidade das artes

A 55 quilômetros da capital gaúcha, Montenegro integra a região metropolitana e o Vale do Caí. O fácil acesso por rodovias, ferrovias e hidrovias, aliada à boa localização, coloca a cidade numa posição privilegiada e estratégica.

A mistura de diversas etnias tornou Montenegro um pólo de cultura e empreendedorismo. Com uma economia variada, a cidade possui indústrias do ramo alimentício, plástico, de implementos agrícolas, metalúrgico, químico e de transformação, entre outras. A citricultura também tem forte importância no seu desenvolvimento econômico, com destaque para a Bergamota Montenegrina. O município é o 23º no ranking estadual de arrecadação de ICMS e o sexto entre os maiores exportadores do Estado.

O Rio Caí e o Morro São João são algumas das belezas naturais, que se destacam na paisagem da cidade. A cultura é outro alicerce do município, que conta com a Fundação Municipal de Artes (Fundarte) e os cursos de licenciatura em Teatro, Música, Dança e Artes Visuais, da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs), além de eventos nacionalmente conhecidos. Esses aspectos respaldam o seu título de "Cidade das Artes".

A restauração da antiga estação Ferroviária, transformada em Estação da Cultura a partir de 2005, deu à cidade um espaço privilegiado para exposições, salas de atividades artísticas e museu, que recebem grande número de visitantes. Em 2012, também entrou em funcionamento o campus da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), com cursos nas áreas de Administração, Ciências Contábeis e Análise e Desenvolvimento de Sistemas. A estrutura foi construída pelo poder público, num investimento de R$ 1,2 milhão, devolvidos à comunidade através de bolsas de estudos.

Com suas belezas naturais, o município também integra a rota de turismo rural Sabores e Saberes do Vale do Caí. No perímetro urbano, o Parque Centenário, com seus lagos artificiais, ginásios de esportes, quadras esportivas e pavilhão de eventos, atrai visitantes todos os dias. Sua estrutura também é palco para uma série de eventos ao longo do ano, com destaque para a Expomonte e o Arraial de São João. Nestas oportunidades, visitantes de toda a região vêm à cidade para se divertir e conhecer a pujança do Município.

 

BROCHIER
Capital do Carvão Vegetal

Localizada na região do Vale do Caí, Brochier é único do Rio Grande do Sul colonizado por franceses que se dedicavam à extração de madeira. A chegada dos alemães, por volta de 1860, promoveu a diversificação de culturas agrícolas. A emancipação ocorreu em 1988, impulsionando o crescimento do município.

A economia conta com indústria diversificada, abrangendo o setor dos calçados, fábrica de móveis, barcos infláveis, entre outros. A cidade mantém a pecuária e a agricultura, através de incentivos, principalmente ao carvão vegetal, como principal fonte de renda. Tanto que o Município tem o título de Capital do Carvão Vegetal.

Brochier caracteriza-se como cidade aconchegante, com belas paisagens naturais e um povo com fortes traços da colonização alemã. Seus pontos turísticos integram a Rota das Velhas Colônias. A Expofesta se destaca entre os eventos realizados no município.

 

MARATÁ
Beleza natural e solo fértil

Motivados pela beleza e pela fertilidade do solo às margens do Arroio Maratá, em 1857, chegaram os primeiros imigrantes alemães à localidade. Em 1909, com a inauguração da ferrovia Novo Hamburgo – Caxias do Sul, que passava por Maratá, o povoado ganhou notável impulso, tornando-se pólo regional para a comercialização das riquezas primárias. Paralelamente, os pioneiros também impulsionaram o desenvolvimento cultural e educacional.

A emancipação ocorreu em 20 de março de 1992, através da Lei Estadual n° 9622/92. O município localiza-se na Encosta Inferior do Nordeste e sua população atual é de 2.527 habitantes. Limita-se com os municípios de Poço das Antas, ao norte; Montenegro, ao sul; Salvador do Sul e São José do Sul ao leste; e, a oeste, com Brochier. Sua altitude em relação ao nível do mar é de 27 metros.

Atualmente, o município é reconhecido por suas belezas naturais e pontos turísticos: Parque Municipal da Cascata Vitória, Parque da Cachoeira Maratá, Parque Municipal da Oktoberfest, Praça Municipal Dora Lídia Brocker, Morro Ibiticã, Trilha Turística de Maratá, Casa do Turista, Pousada Ko Freitag, pórticos e prédios em estilo enxaimel, arquitetura colonial, produtos coloniais e a hospitalidade dos marataenses.

 

PARECI NOVO
A capital das flores, mudas e frutas

Com cerca de 3.500 habitantes, Pareci Novo é um exemplo de que a pequena propriedade pode se manter e solidificar uma economia. O nome "Pareci" é oriundo de um lendário índio, que veio para a região Sul do Brasil quando tinha cerca de 10 anos de idade. Natural de Cuiabá, no Mato Grosso, ele pertencia à tribo dos Parecis.

A emancipação do ex-distrito de Montenegro ocorreu em 20 de março de 1992. A cidade é reconhecida como a "Capital das Flores, Mudas e Frutas" por se destacar nas áreas de floricultura e citricultura. Essas potencialidades são evidenciadas na Citrusflor – Festa das Plantas, Flores e Frutos. A atividade é herança dos colonizadores alemães, que foi impulsionada também pelos padres jesuítas, que mantiveram, por muitos anos, um seminário na localidade. Entre eles, destaque para o irmão Teobaldo Braun, que iniciou sua produção com o cultivo de orquídeas raras.

Na cidade, também há grande produção de diversas qualidades de limões, bergamotas, mudas nativas e de reflorestamento, de ervas medicinais, condimentares e aromáticas.

 

SALVADOR DO SUL
Cidade com vocação turística

De acordo com estudos desenvolvidos por órgãos de qualificação nacional, progresso e qualidade de vida são palavras chaves para caracterizar Salvador do Sul, tornando a cidade uma das principais referências do Vale do Caí. A economia conta com produção agrícola fortalecida, com os setores comercial e industrial em expansão. Com essas características, a prosperidade é o destino natural dessa hospitaleira comunidade.

Os caminhos que levam ao município propiciam vistas panorâmicas deslumbrantes. A hospitalidade de seus 6.747 habitantes e a beleza de Salvador de Sul também se destaca e influencia na sua vocação turística. O clima típico da serra gaúcha é uma atração, ainda mais com a possibilidade de precipitação de neve nos rigorosos invernos.

Para melhor atender os turistas, Salvador do Sul investe em sua estrutura. Há alguns anos, ganhou um hotel de padrão internacional. Além de uma rota colonial, conta com vários outros pontos para visitação, como colégio Santo Inácio de Loyola, o Parque Affonso Cristóvão Wallauer, o centenário Túnel de Linha Bonita Alta e a revitalizada Praça José Lindolpho Hummes.

 

SÃO JOSÉ DO SUL
Uma cidade aconchegante

Gauer Eck, como São José do Sul era chamada na época da chegada dos primeiros colonos, ficou conhecida por ser uma rota utilizada pelos imigrantes italianos. Com origem germânica, os primeiros colonizadores alemães chegaram em 1864.

Localizada no início da serra Gaúcha, sua emancipação ocorreu em 1996. A primeira eleição, no entanto, foi realizada somente em 2000. A cidade está em expansão econômica, alicerçada pela diversificação da produção primária. Avicultura, suinocultura e citricultura representam grande parte da economia local. Contudo, novas culturas já estão sendo introduzidas, como o gado leiteiro, criação de aves exóticas e a produção de antúrios, flor que se tornou símbolo do município.

O clima característico de uma cidade de interior, aliado à receptividade da população, faz de São José do Sul uma cidade aconchegante.

Participação de Mercado

Pesquisa realizada pelo Instituto Methodus em novembro de 2011 em Montenegro – 300 pessoas entrevistadas:

LEITURA DE JORNAL
Quais destes jornais você lê com mais frequência?
Resposta Múltipla - Estimulada

Você lê, ainda que eventualmente, o Jornal Ibiá?

Destes meios de comunicação, em qual você confia quando busca informações da cidade e região?

Quando você busca informação para decidir a compra de produtos ou serviços no comércio de sua cidade, você procura: nas rádios, jornais, internet ou TV? Resposta Múltipla Espontânea

 

Assinantes leem e confiam no Ibiá
Pesquisa realizada pelo Instituto Methodus em janeiro de 2012 em Montenegro – 250 assinantes escolhidos aleatoriamente:
Contando com você, quantas pessoas, em média, leem o seu exemplar do Jornal Ibiá?
Média: 7,06 leitores por exemplar

*A média corrigida é 3,30 por exemplar do jornal. Este é um procedimento estatístico onde os valores mais altos e mais baixos não são considerados no cálculo, evitando, assim, distorções.

Quando você busca informação, em qual meio de comunicação você mais confia: rádios, jornais, internet ou TV? Resposta Múltipla

Espontânea

Quando você busca informação para decidir a compra de produtos ou serviços no comércio de sua cidade, você procura: nas rádios, jornais, internet ou TV? Resposta Múltipla Espontânea

Cadernos e Oportunidades

Classificados
Caderno com grande retorno comercial, os Classificados registram o maior volume de leitura das seis edições da semana. Anúncios comerciais de todos os segmentos preenchem 8 páginas de venda, troca, aluguel e serviços de pessoas físicas e jurídicas. O Jornal • • Ibiá tem a melhor audiência da região e o maior número de leitores de Montenegro.
• Periodicidade: Semanal, às sextas-feiras

Ibiá Motores
• Matérias e reportagens sobre veículos, produtos e serviços relacionados ao tema.
• Periodicidade: Semanal, às quintas-feiras

Caderno 2
• Caderno de variedades. temas de interesse dos jovens, fofocas das novelas, televisão, coluna social, games, agenda cultural e brincadeiras infantis.
• Periodicidade: Semanal, aos sábados

Vida Sadia
• Caderno semanal de saúde, com reportagens sobre as pesquisas na medicina, medicamentos, entrevistas com médicos e dicas para uma vida com saúde.
• Periodicidade: Semanal, aos sábados

Viva Bairros
• Reportagens sobre o cotidiano dos moradores dos bairros, seus problemas e realizações. Espaço dedicado às histórias de vida dos montenegrinos.
• Periodicidade: Semanal, às terças-feiras.

Com a Bola Toda
• Cobertura do esporte na região, destacando os times e os atletas locais e suas conquistas. Também há espaço para os jogos e fatos que marcam o dia a dia da dupla Gre-Nal.
• Periodicidade: Semanal, às segundas-feiras.

Construção e Decoração
• Caderno dedicado aos segmentos de construção e decoração. São abordados temas relacionados a produtos e serviços, lançamentos e dicas para otimizar obras e embelezar a casa.
• Periodicidade: Mensal.

Contato

Para saber mais sobre anúncios e formas de veiculação no Jornal Ibiá ligue para o nosso telefone e peça para falar com o pessoal do Comercial: (51) 3649.8600.

Endereço:
Rua dos Plátanos, 20
Fone: (51) 3649.8600
Montenegro - RS - Brasil

E-mail:
Direção: direcao@jornalibia.com.br
Redação: redacao@jornalibia.com.br
Comercial: comercial@jornalibia.com.br
Administrativo: financeiro@jornalibia.com.br
Assinaturas: assinaturas@jornalibia.com.br

Horários:
Segunda a Sexta: 8h às 18h30min sem fechar ao meio-dia
Sábados: 8h30min às 12h